quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Conceito de Bondade: altruísmo ou moralismo?

Nesta onda de neo-conservadorismo surgida da ganancioso desespero das elites pela crise capitalista, parece que se perdeu a noção de bondade. Ou pelo menos ela mudou para retornar a um conceito vigente em tempos mais antigos, quando nossas avós tinham pele lisinha.

Nos últimos tempos, havia-se tentado definir um conceito de bondade que tivesse a ver com o altruísmo, com o respeito ao próximo e o desejo de bem estar a maioria das pessoas. É este o conceito de bondade que eu defendo. Cresci acreditando que ser bom é permitir que outras pessoas vivam da melhor maneira, em paz e com as suas necessidades essenciais respeitadas.

Mas com o conservadorismo em voga, o conceito de bondade voltou ao sentido antigo, que tem muito menos a ver com altruísmo e mais com o moralismo, a defesa da chamada "moral e bons costumes", com base em critérios relacionados com religiosidade, disciplina militar e direito à propriedade. 

Não raramente este conceito conservador de "bondade" entra em choque com o altruísmo, pois para conservadores, quem não corresponde as expectativas dos conservadores é automaticamente transformado em vilão e com base nesta acusação, deve ser eliminado da sociedade, ou através de prisão ou pela morte. Algo que pode ser entendido ou como vingança ou mero sadismo.

A bondade conservadora, quando tenta ser altruísta, é sempre limitada a caridade paliativa, que é a que vemos sendo praticadas em instituições de caridade ou em campanhas em datas como o natal. São ajudar momentâneas que não tiram excluídos dos seus problemas, servindo mais de compensação ou consolo para a preservação de um problema que não e do interesse de conservadores combater.

Mas no geral, o conceito conservador de bondade nada tem a ver com altruísmo. Por isso que não é estranho ver pessoas se auto-rotulando "homens de bem" desejando mal ao próximo. Para eles só merece ser feliz quem corresponde a estereótipos esperados e obedece as regras subjetivas e nem sempre justas impostas pelo mais retrógrado moralismo. 

Parece que atender a estereótipos é muito mais importante do que garantir bem estar e convívio harmônico em toda a sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.