sábado, 24 de dezembro de 2016

A hipocrisia santa de todo Natal

A polarização política que surgiu nos últimos anos serviu como comprovação de que a sociedade está cada vez mais egoísta, arrivista e gananciosa, do contrário do que deveria ser. Estamos atrasados como seres humanos e não estamos somente ficando mais burros como também ficando mais insensíveis. Infelizmente, a humanidade fracassou e está perdida. 

Na verdade, o Natal sempre serviu mais como um falso atestado de bondade da sociedade capitalista. Através da caridade paliativa, aquela que consola mas não traz dignidade, muitas pessoas acreditam estar sendo bondosas, de forma interesseira, por acreditar que um gigante invisível que eles chamam de "Deus" irá os recompensar. 

A caridade praticada pelas grande maioria das pessoas ignora a real necessidade dos excluídos, para que serve a ação praticada, e desprezam mais ainda como esta caridade deve ser feita para tirar um excluído de seu problema, que certamente nunca é resolvido. Todo tipo de ajuda é limitada a doação de objetos e palavras incapazes de tirar os mais carentes de sua condição indigna.

O que me revolta é que este tipo de ajuda se tornou um padrão. É a única praticada e há quem acredite mudar o mundo com esta caridade paliativa. Dá-se uma sopinha e um cobertor velho para um morador de rua e está resolvido? Vejam, lá está ele de volta a rua numa calçada suja, sem abrigo e desprezado por uma multidão que vive a se afastar do pobre coitado.

Para piorar, há o lado ruim deste tipo de caridade. Não raramente os excluídos são tratados como depósitos de lixo, pois normalmente recebem como ajuda objetos que não tem serventia para quem doa. Sem esquecer de alguns casos onde a caridade é usada como moeda de troca chantagem, exibicionismo e até manipulação ideológica. Não são raras as ONGs e instituições de caridade que praticam lavagem cerebral em seus auxiliados. Infelizmente isto é real e frequente.

Bondade + ganancia = hipocrisia

No geral, vemos nesta época do ano pessoas se fingindo de bondosas quando as mesmas agem de forma bem egoísta e não raramente gananciosa no resto do ano. E no Brasil temeroso, onde decisões de um grupo de golpistas gananciosos devem eliminar direitos e agravar crises e desigualdades, a luta pelo pouco benefício deve aumentar ainda mais o nosso egoísmo. 

A convulsão social deve se converter em uma não-declarada guerra civil. Vamos ter que brigar pelo pouco que será oferecido. Multidões morrerão por causa de direitos cancelados. Ricos, alvos constantes dos ódios das classes oprimidas (ódio que infelizmente é recíproco) serão constantemente ameaçados por se recusarem a repartir seus excessivos supérfluos. O país como um todo retornando a sua condição de sub-desenvolvimento com sérios riscos de se tornar um Haiti mais pomposo.

É este cenário triste que está sendo preparado para todos nós. Os que apoiam estas decisões equivocadas que estão sendo tomadas pelos golpistas que tirem sua máscara de bondade pois estão contribuindo de alguma forma pelo mal estar de muitas pessoas. E não será uma sopinha aguada, um casaco rasgado e uma reles canção natalina que resolverão esta desgraça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.