domingo, 30 de outubro de 2016

A incrível maturidade de Ana Júlia Ribeiro

Estamos vivendo tempos loucos no Brasil. Um a verdadeira multidão de analfabetos políticos cismou que entende mais de política do que o resto da população e resolve cometer suas atrocidades por pensar saber o que está fazendo. Uma das primeiras atitudes, obviamente, foi o golpe. Mesmo vitoriosos e com vários integrantes com grande vivência etária, esses analfabetos políticos não cessam de demonstrar a sua imaturidade, agindo como crianças teimosas e birrentas.

Na contramão dessa gente de muita idade e pouca razão, aparece uma menina de 16 anos que nos dá esperanças em um futuro melhor. Essa menina que nem atingiu a maioridade legal, demonstrou de maneira clara, tranquila, uma sensatez, além de lucidez e maturidade muito superiores a que todos os direitistas têm juntos. O nome dela é Ana Júlia Ribeiro, que vive em Curitiba, hoje, uma cidade governada pelo Fascismo.

Ela foi convidada pela Assembléia Legislativa do Paraná para explicar os motivos da ocupação. E mesmo sendo aluna e não professora, deu uma impressionante aula aos presentes. Um dos deputados até tentou censurá-la, quando ela questionou o fato de culparem os manifestantes pela morte de um aluno (atacado por um colega por motivos pessoais), mas prosseguiu com o seu brilhante discurso.

Questionou também a medieval Escola sem Partido, uma medida criada por políticos religiosos que pretende eliminar debates nas escolas, impondo uma espécie de "educação" mecânica e 100% direcionada para o mercado de trabalho. Sobre esta medida que pretende extinguir a verdadeira educação, Ana Júlia falou:

 “É uma escola sem senso crítico, é uma escola racista, homofobia. É falar para os jovens que querem formar um exército de não pensantes, um exército que ouve e baixa a cabeça. Não somos isso. Escola sem Partido nos insulta, nos humilha, nos fala que não temos capacidade de pensar por nós mesmos”.

Se não bastasse o brilhante e amadurecido discurso, Ana Júlia ainda deu a melhor definição da abominável Escola sem Partido, curto e direto. Ela acabou fazendo como devem os verdadeiros sábios, definindo tudo com poucas palavras. Certamente, Ana Júlia é o tipo de aluna que os criadores e defensores da Escola sem Partido sonham em nunca existir.

Obrigado, Ana Júlia Ribeiro, pela sua verdadeira aula de cidadania! Por um momento você deixou de ser aluna para ser mestre. A melhor dos mestres. Você me faz acreditar no futuro. Que venham muitos jovens como você, dispostos a transformar esta sociedade em algo melhor para se viver e conviver. Só em seu discurso pude aprender muitas lições que ficarão guardadas para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.