terça-feira, 21 de junho de 2016

Desprezo humano favorece o conservadorismo


Como é possível em pleno seculo XXI optarmos por sistemas político-sociais-econômicos que não beneficiam a humanidade como um todo e odiarmos sistemas que pretendem repartir bens e direitos, com a finalidade de gerar bem estar a todos os seres humanos?

A única dedução que faço disto é que o egoísmo está em moda. As redes sociais finalmente mostraram sua desvantagem e isola cada vez mais as pessoas. Isolados, nos sentimos livres para satisfazermos nossas taras. Mas isolados tomamos todo tipo de atitude que no final acabam por nos deixar... isolados.

Estamos desaprendendo a pensar e a amar. Estamos retomando os mais simplórios instintos. Retomamos nossa origem animal e jogamos na incineradora tudo que aprendemos de positivo na segunda metade do século XX. Desejamos a barbárie para que ela possa "garantir"a organização rígida do moralismo mais retrógrado. Contraditórios como sempre, bagunçamos para manter a rigidez.

Progressistas e conservadores erram do mesmo jeito. Nenhum está interessado no bem estar coletivo. Conservadores querem a rigidez medieval. Progressistas desejam a irresponsabilidade hippie, com direito a todas as drogas e loucuras que arruínam organismos. Nenhum se interessa em equilibrar para que nos livremos tanto dos defeitos conservadores quanto dos defeitos progressistas. Irracionais, consideramos defeitos qualidades essenciais que devem ser mantidas.

Parece que todos, ainda mais no Brasil tradicionalmente irracional, querem apenas a liberdade, como se ela fosse mais importante que a qualidade de vida. Mas não uma liberdade sadia e sim aquela que faz de tudo e que atrapalha o direito alheio.

Virou "direito" fazer barulho, usar drogas e xingar os outros. Virou "direito" ficar na teimosia de se achar sempre certo e fechar os ouvidos para opiniões mais sábias. Virou "direito" viver na alienação das redes sociais e entender a realidade de forma distorcida e formar conceitos equivocados.

Em pleno século XXI estamos piorando. Quase todas as coisas pioram de qualidade. Estamos mais acomodados, burros e insensíveis. Ainda temos medo de autoridades. Não lutamos por direitos mais essenciais, aceitando que salários e moradia estejam fora de nosso alcance.

Mas o pior é que não estamos mais unidos. Nossa mania de ratar opinião como patrimônio nos faz brigar com os outros. Como falei, opiniões sensatas não nos interessam. As opiniões que nos interessam são aquelas que confirmam nossas convicções burras e egoístas. Nos afastamos dos sensatos e nos aproximamos dos alienados. Pois os alienados oferecem festas, drogas (ilusões religiosas, no caso dos religiosos, que é sim um tipo de droga) e prazeres baratos.

Sinto dizer que vivemos em um caos organizado. Estou preocupado. Entramos numa espécie de Idade Média modernizada. Retomamos muitos de seus equívocos. Mas podemos não parar em nossa caminhada para o retrocesso e retomarmos o trogloditismo. A barbárie já voltou a nossa rotina. E se pioramos sem parar, até onde isso tudo vai acabar?

A humanidade está se auto-destruindo. Resta saber qual espécie animal irá os substituir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.