terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A decepção é a filha da Ilusão

Você se sente feliz com ilusões? Sai para tomar umazinha após o trabalho? De noite se esbalda na pista de dança até cair no chão? No domingo, após escutar um cara de batina falar sobre bondade estereotipada, vai torcer para quem um bando de 11 analfabetos ganhe um jogo que não trará qualquer tipo de benefício aos torcedores (pelo contrário, até suga dinheiro). Que tal esta vida?

Parabéns. Você vive no mundo da ilusão! Se ao invés de tentar melhorar a realidade chata dos chefes autoritários, dos políticos corruptos, das leis injustas, da burocracia desnecessária e dos bandidos que são mais protegidos pelas leis de Direitos Humanos do que você, prefere se esconder em um mundinho encantado dos esportistas, celebridades, religiosos e outros farsantes que mentem tanto quanto os políticos e bandidos que você odeia, é porque você vive num mundinho paralelo da ilusão.

Muitos dos valores positivos de nossa sociedade são pura ilusão. Patriotismo não faz sentido porque é amor por um pedaço de terra dividido artificialmente por homens. Esporte estimula o egoísmo através da competitividade. Religiões não passam de contos de fadas amontoados. Bebidas alcoólicas fazem mal e limitam a capacidade de discernimento. Estes e muitos valores considerados positivos sã na verdade fugas da realidade que o senso comum tenta transformar em fonte de felicidade e organização. 

Ninguém quer melhorar a realidade. Até finge que quer para ficar bem diante das outras pessoas. mas mudar a realidade implica em uma complexidade de atitudes que a maioria esmagadora das pessoas não está a fim de tomar. Melhorar a realidade exige esforço e pior: exige a recusa dessas ilusões "positivas" que na verdade funcionam como um misto de narcótico com zona de conforto.

E para piora ainda mais, as pessoas ao se acostumarem com estas ilusões, passam a defendê-las com certa agressividade, como se tais ilusões fossem a principal razão de felicidade e dignidade. Pessoas matam e morrem para defender ilusões, mas as mesmas pessoas se encolhem na hora de exigir dignidade e real qualidade de vida.

Mas se esquecem todos que a ilusão é a mãe da decepção. Que cedo ou tarde as ilusões se mostram como tais, revelando uma realidade que se torna cada vez mais difícil de consertar. E como num ciclo vicioso, continuamos fugindo para as ilusões. E tome mais decepção, mais ilusão, mais decepção e assim por diante...

Por isso que o Brasil, a pátria que mais exalta as ilusões é a materialização perfeita do "Land of Make Believe", a Terra do faz de Conta. Façamos de conta que o supérfluo é necessário, que as ilusões são realidades e que os enganadores são gente boa. Façamos de conta que somos uma humanidade feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.