sábado, 13 de junho de 2015

A silenciosa dor afetiva dos homens

As mulheres muitas vezes adoram reclamar da falta de homens, mesmo que esta falta não aconteça. A mulher, educada para posar de coitada, para atrair proteção alheia tem esta atitude como forma de se manter incluída socialmente. Já os homens, pelo contrário, não possuem esse direito, mesmo quando estão na pior.

Ainda mais quando o assunto é vida afetiva, a coisa piora. Segundo as regras sociais, um homem assumir publicamente que tem dificuldades afetivas serve de atestado de incapacidade, mesmo que os defeitos presumidos não existam de fato. É como um homem dizer para a sociedade: "eu não presto, não me queiram para namorado". Isso é mau porque os homens que tem real dificuldade para conquistar mulheres ficam privados de qualquer ajuda.

Todos conhecem aquele ditado "Homem não chora". Significa que os homens tem que passar a imagem de bem sucedidos 24 horas por dia, nem que em suas vidas tudo esteja errado e que tenham que se virar sozinhos para resolver seus problemas. O que acaba por estagnar esses problemas, já que muitos destes não são resolvidos sem ajuda alheia.

Mas porquê a sociedade ainda insiste em reprovar as reclamações masculinas? Quando posto alguma coisa sobre as minhas dificuldades afetivas no Facebook, sinto um silencioso clima de reprovação. Como se eu de repente tivesse cometido um crime. É crime pedir ajuda para resolver problemas afetivos? Talvez seja.

Mas porque sofrer calado? Isso tem demonstrado um grave erro há séculos. A experiência mostra que ao ter reprimido o seu direito de reclamar, o homem parte para a ignorância, cometendo os mais variados tipos de violência, gerando danos e até mortes. Não seria melhor chorar em um canto e depois pedir ajuda? Bom para ele e para toda a sociedade.

Sobre a sociedade, ela faz uma ideia errada dos homens que tem dificuldades afetivas. Vamos reconhecer, vivemos em uma sociedade burocrática, que cria regras e exigências para que alguém possa obter benefícios. Quem se dá bem é aquele que cumpre as regras e a satisfação dessas exigências. E quem não se adapta, como fica?

Tenham paciência com quem tem dificuldade. Ao invés de reclamar ou de acusar de defeitos que não se sabe se tem ou não, porque não ajudar o homem com dificuldades. Tenho absoluta certeza que um homem que é compreendido em sua dor e recebe ajuda, será uma pessoa bastante útil para a sociedade ao querer retribuir a ajuda recebida, nem que seja apenas com a simpatia ou com a gratidão.

É errado querem condenar um homem porque ele não é "forte" nem "bem sucedido". Todos nós temos ganhos e perdas durante toda a vida. O que deve ser feito é livrar das perdas. E a primeira atitude a fazer para isso é admitir que as perdas existem.

Um homem que pose de infalível com certeza está mentindo. E poderá agredir quem o conteste, caso ele não assuma seus problemas e procure ajuda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.