quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Paulo Francis: "Mulher não escolhe homem por caráter"

O meu irmão leu um livro do genial, mas polêmico jornalista Paulo Francis, Trinta Anos Esta Noite, onde apareceu bem escondido no meio do livro, dentro de um longo texto, a seguinte frase:

"Mulher não escolhe homem por caráter"

Esta frase me fez pensar bastante e justifica com clareza e poucas palavras porque eu vejo tanto cara babaca casado com belas mulheres de personalidade marcante. Justifica também porque tem tanto cara legal, gente boa mesmo, chorando porque não consegue conquistar mulher. A propósito: alguém conhece algum cara de pau que esteja chorando por falta de mulher? Eu nunca ouvi falar de um caso desses.

Se os homens de hoje aprenderam a valorizar as mulheres pela sua personalidade, o mesmo não se pode dizer das mulheres na hora de escolher um homem. Ainda vale o pré-histórico critério protetor/provedor. Além disso, o próprio processo de conquista imposto pelas mulheres (elas é que fazem as regras no "jogo" da conquista amorosa, sabiam?), favorece os caras de pau, os homens com segundas intenções que, por não quererem nenhuma responsabilidade no relacionamento, entram na conquista sem esperar muita coisa, por isso mesmo agindo com mais tranquilidade, passando uma boa - e errada - impressão à mulher a ser conquistada.

Por isso vemos muitos casais desse tipo, com homens de caráter duvidoso, sem qualidades pessoais, sem opiniões surpreendentes e de capacidade de discernimento atrofiada, casados com mulheres cultas, charmosas e de personalidade que se destaca perante as outras. Se essas mulheres estão cheias de qualidades, para compensar, têm o defeito de não saber escolher homem, aceitando os primeiros trogloditas que aparecem em sua frente, só porque eles se comportaram de forma adequada durante o processo de conquista e/ou têm um emprego de prestígio ou porte físico avantajado que satisfaça as necessidades instintivas destas mulheres a serem conquistadas.

Muitas mulheres não assumem isso, mas há a suspeita de que existe uma espécie de prazer secreto em ter a responsabilidade de transformação no caráter de seus maridos/namorados. Parece que as mulheres recusam os caras legais por eles estarem "prontos", tirando a graça da transformação pessoal. Isso é apenas hipótese, mas o certo é que os babacas e os insossos são melhores conquistadores.

Enquanto isso, homens legais que poderiam estar casados com essas mulheres de personalidade marcante, que também possuem personalidade marcante, ou tem que se contentar com mulheres mais burras, de personalidade duvidosa ou tem que ficar sozinhos mesmo, desperdiçando a sua gentileza e capacidade de fazer uma mulher feliz, perdendo uma boa oportunidade de crescimento pessoal através de um relacionamento com afinidade.

Não sei dizer nada sobre o que vejo na realidade. O que posso dizer é que, num mundo cheio de erros e injustiças por todo o lado, a vida afetiva não tinha que estar de fora. Há injustiças também na vida afetiva. Normalmente a felicidade está reservada a quem menos merece.

Não vou mudar a minha personalidade para agradar a nenhuma mulher. Se não consigo conquistar quem eu quero sendo como sou, paciência. A solidão não é tão nociva assim. Se o meu caráter não serve para conquistar uma mulher, pelo menos ele serve para muitas coisas boas. Principalmente para dar dignidade a minha pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.