terça-feira, 4 de novembro de 2014

Mulheres carentes paqueram de forma diferente das mulheres atraentes

Os conselhos de conquista feminina dados por algumas pessoas nunca levam em conta a diferença de comportamento entre as mulheres carentes e as mulheres atraentes, que não são carentes. Mas essa diferença existe.

Está na cara que as mulheres carentes são mais fáceis de conquistar que as atraentes. E eu tenho experiência com isso, já que todas as minhas namoradas foram mulheres carentes e a maior parte das mulheres que se interessavam por mim se enquadravam neste perfil. 

O que acontece é que, segundo os padrões exigidos pela sociedade para definir um "homem atraente", eu deixo bastante a desejar. Talvez me enquadre como um homem "carente", embora me recuse a admitir isto. Talvez por medo da reação social, sei lá. Se já não sou muito popular entre as mulheres, assumir como perdedor só poderia piorar as coisas. A sociedade educou os homens a nunca assumirem as suas derrotas, estimulando a luta insistente, mesmo que hajam derrotas igualmente insistentes.

Voltando às mulheres, por não me enquadrar no perfil desejado, nunca fui muito popular entre as mulheres. Nunca namorei alguém que pudesse estar apaixonado. Aliás, digo sem medo que nunca amei de fato nenhuma namorada que eu tive. E nunca tive as que eu realmente amei, já que preferiram entregar seus préstimos afetivos a outros homens, bem mais canalhas que eu.

Mulher que toma iniciativa é considerada "periguete"

É difícil conquistar uma mulher atraente. Desde juventude as mulheres são educadas a nunca tomarem a iniciativa e a dificultarem ao máximo o processo de conquista. Os objetivos são dois:

- "Filtrar" o excesso de oferta até chegar ao "macho " ideal, pela crença (hoje desmentida, embora ainda seguida) de que aquele que segue as regras é o companheiro ideal.

- Puro pudor. Mulher que toma iniciativa e/ou é muito demonstrativa é tida como "periguete", tipo de mulher vulgar e com vocação para prostituta. Graças a isso, "mulher fácil" virou termo ofensivo e sinaliza baixa auto-estima da mulher. Outro equivoco, superado nas evidências, mas consagrado pelos costumes sociais.

Homem gosta de mulher difícil por que é mais fácil: elimina  os "fracos" da concorrência

Sobre este segundo fato, uma descoberta. Todos sabem que os homens (não tímidos, vale lembrar) não gostam de mulheres fáceis e acham divertido conquistar mulheres com dificuldades, como se fosse um jogo. 

Pois é. O que descobri que por trás disso está um mau caratismo que desmitifica a solidariedade masculina tão difundida pelos machistas. Os homens preferem as difíceis porque é mais fácil. Mais fácil?

Sim, por mais estranho que pareça. Como as mulheres difíceis só são conquistadas pelos homens "mais capazes", os "menos capazes" são eliminados sem dó da concorrência. Só resta aos "mais capazes" pegarem os seus "troféus" e colocar na estante e partir para a conquista de outros "troféus". Ou não sabiam que é assim que nasce a tradicional infidelidade masculina?

E as mulheres carentes? Sobram para os "mais fracos"

As mulheres carentes não tem o "luxo" de se fazerem de difíceis: a natureza já fez isso a elas. Vale lembrar que nem todas são feias, mas as carentes normalmente tem algum defeito que não agrada aos homens. Já vi carentes lindíssimas, que escondiam na personalidade o seus maiores defeitos.

A carente, para compensar que não atrai  os homens, tem que compensar desenvolvendo a extroversão e partindo para o ataque. Tomam a iniciativa mesmo, sem se preocupar com o pudor. Muitas delas são até carolas, mas sabem que se ficarem inertes, ficarão condenadas à solidão.

Para os tímidos até seria bom, se o fato dessas mulheres terem algum defeito, seja na aparência, seja na personalidade, não fosse verdadeiro. Tive que fazer muitas concessões em meus namoros, e várias dessas concessões foram os motivos para os fins, quase todos decididos por minha iniciativa.

Mas o ideal é que as regras pudessem ser mais afrouxadas. Quem quer transformar a conquista em um jogo, que fique a vontade. Mas não obrigue as outras pessoas a transformarem os processos de conquista em jogos. Muita gente quer viver uma relação séria e o processo de conquista é apenas uma "guarita" de entrada para o início dessas relações. 

Todos tem direito de se envolverem com as pessoas que desejarem. Até porque sem atração e sem afinidade (ou apenas com uma delas), não há relacionamento que dure com tranquilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.