sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Porque as pessoas fazem questão de se casar, se vão viver a maior parte do tempo separadas?

É estranho ver que a maioria das pessoas faz questão de contrair matrimônio se sabe que vai passar a maior parte do tempo longe do cônjuge, por causa do trabalho. Se os casamentos fossem por amor, as pessoas sacrificariam a vida profissional para ficarem juntos a maior parte do tempo. Mas então porque se casam, sabendo desse inconveniente.

Na verdade, isso é uma das provas de que a maior parte dos casamentos não é por amor. É uma convenção social que ajuda a aumentar a auto-estima de quem contrai matrimônio. Quem casa se sente ao mesmo tempo mais valorizado e respeitado como adulto.

Por isso mesmo as pessoas se casam mesmo não sentindo nada de nobre em relação ao outro. E como não há o (verdadeiro) amor , mas outra sensação que recebe tal nobre denominação, não há problema em duas pessoas se manterem distantes durante maior parte do tempo. Se puderem satisfazer a execução das obrigações básicas de cada sexo (homem: dinheiro, mulher: procriação), tudo bem.

Esse papo de que casamentos são por amor é uma infantilidade. Mas colocar o amor como prioridade causa um fascínio nas pessoas que mesmo sabendo que não sendo real, fingir sua existência traz um conforto que empolga e as vezes até excita.

O amor ainda não faz parte da sociedade atual que adora usar o belo nome do sentimento nobre para classificar qualquer tipo de sensação. Casamentos não são por amor e quem admite essa realidade certamente é alguém que chegou à maturidade.

Vamos parar de sonhar. Se o amor "governasse" esse mundo, nossos costumes e convicções seriam muito diferentes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.