sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Os opostos se repelem

Não sei qual foi a anta que inventou que nos relacionamentos, os melhores casais são formados pelos cônjuges com mais diferenças entre si. Certamente ele não deveria estar envolvido num relacionamento deste tipo para observar as consequências desastrosas da união entre entes tão diferentes entre si.

Quem adora ver casais formados por conjuges bem diferentes, acredita que isso serve como prova da suposta infalibilidade do amor, achando que isso aumenta o romantismo. Bah! Pieguice sem sentido!

A experiência mostrou e ainda mostra que a afinidade é um fator indispensável para o sucesso de um relacionamento. Colocar duas pessoas totalmente diferentes sob o mesmo teto é ruim e até fatal. Não dá para aguentar viver todo dia com alguém totalmente diferente. Incomoda, sabe?

Legal mesmo é você se casar com alguém que tenha afinidades, par que possam estar junto em um número mais de atividades. Não existe afinidade 100% e é bom que não exista, pois é nas pequenas divergências que aprendemos coisas novas. Mas pequenas, coisas que não gerem incômodos diários.

Eu mesmo decidi que só me caso se as afinidades superarem 75%. E as diferenças não devem ser do tipo que estraga o cotidiano do casal, que seja  algo que possa ser suportado.

Esse negócio de que os opostos se atraem só deu certo em energia elétrica. Na energia humana, legal mesmo é ser cada vez mais parecido. Quanto mais parecidos em personalidade forem os membros de um casal, maior o sucesso do casamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.