terça-feira, 12 de agosto de 2014

Fatos que você precisa saber sobre a vida afetiva

Conquistar uma companhia não é tarefa fácil. Conquistar aquela que é exatamente como queremos é quase impossível. Regras de conquista impostas pela sociedade dificultam cada vez mais as coisas, transformando o processo de conquista num jogo cruel e de difícil vitória.

Os brasileiros nada sabem sobre a vida afetiva. Graças a falta de discernimento e ao hábito de usar mais as crenças do que o raciocínio, tudo que a sociedade sabe, é por pura credulidade. Justificam tudo que envolve a conquista e a vida de casais de forma subjetiva e muitas vezes sem sentido.

Aqui listo algumas coisas que todos precisam saber sobre vida afetiva, com base em muita pesquisa e verificação.

Claro que não estou generalizando nada. Há exceções, vindas de uma minoria de poucos corajosos a desafiar as regras sociais e os valores consagrados. Mas a maior parte das pessoas é fiel as regras observadas abaixo.

Esta lista acaba com falsas crenças. Muita gente vai se surpreender:

- A vida afetiva é injusta. Normalmente quase ninguém se casa alguém que corresponda ao que se quer e/ou  com o objeto de afeição intensa (paixão). A maior parte dos casais um dos cônjuges é apaixonado pelo outro, enquanto este apenas sente um leve afeto pelo primeiro. É comum contrair matrimônio com quem não se gosta, por inúmeros motivos. É comum pessoas verem seus objetos de paixão se unirem a outras pessoas, estas não apaixonadas pelos seus cônjuges, objetos das paixões alheias.

- A dificuldade de conquista é maior nos homens, graças as exigências feitas a eles e a participação decisiva no processo de conquista, já que a iniciativa é deles. Se há mulheres bonitas chiando porque tem dificuldade de conquistar homens, pode crer, ou é mentira ou tem alguma coisa errada nelas.

- As mulheres conquistam os homens pela beleza e pela meiguice. Quanto mais meigas forem as mulheres, maior chance de sucesso afetivo.

- Homens conquistam as mulheres pela capacidade de proteção e sustento material. Quando uma mulher quer um homem, analisa se os aspectos de comportamento, aparência, bens e posição social correspondem a um bom protetor/provedor.

- Caráter e beleza facial masculina são supérfluos na conquista feminina. As mulheres até gostam, mas não fazem questão desses dois aspectos. O cara pode ser um Ogro pavoroso de feio, se cumprir os requisitos de proteção/sustento, é aceito no ato. O mesmo para um cara que matou a humanidade inteira, desde que não mate a própria esposa.

- Ninguém se casa por amor. Isso é mito infantil que não é observado na prática. Os motivos mais comuns para a realização de um matrimônio: interesse material, confiança, medo da solidão. Mas o mais comum é social: se auto afirmar como adulto valorizado e agradar a sociedade que só valoriza pessoas acompanhadas.

- Não são os homens que mais amam que se dão melhor na vida afetiva e sim os mais rápidos, os que chegam primeiro. Se isso não fosse verdade, os outros homens teriam o direito pleno de arrancarem as mulheres de seus donos, nem que tenham que brigar até a morte, como fazem os búfalos. Os "perdedores" tem que se conformar e lutar por outras "fêmeas", muitas vezes menos atraentes.

- O número de mulheres pode até ser maior que o de homens. Mas o número de mulheres desejadas é uma minoria esmagada. Lembrando que um emprego estável já é o suficiente para classificar um homem como "interessante", o número de homens desejados é muito superior ao de mulheres desejadas. Normalmente as mulheres que sobram, ninguém quer, ou por feiura, ou por algum aspecto desagradável.

- Mulheres nunca paqueram nas ruas, parques, ônibus, estabelecimentos. Talvez por insegurança, por não confiarem em desconhecidos, elas só paqueram em lugares onde possam ver os mesmos homens com muita frequência (escolas, vizinhança, trabalho, etc.) ou em lugares criados com a finalidade de paquera (festas, bares, boates e afins).

- Homem não ajuda outro homem a arrumar mulher. Isso é mito. Muitos fingem porque isso serve de confirmação do "talento de conquista", de acordo com o hábito instintivamente humano de posar de "melhor" que os outros. Mas quem não é bobo sabe que concorrente não ajuda concorrente e a tal ajuda fica limitada a conselhos superficiais baseados em crenças populares sobre afetividade e conquista.

- Na verdade, embora ninguém admita, quem ajuda os homens a arrumar mulher são as outras mulheres. Elas é que sabem o que as mulheres querem. Pesquisas mostram que homens que tem amigas mulheres ou grupos sociais que tenham mulheres se dão melhor na vida afetiva. Além disso, mulheres gostam de namorar homens que sejam indicados por outras. É o mesmo motivo que faz com que os homens casados sejam mais desejados: "atestado de qualidade".

- Mulheres amam mais os amigos que os seus cônjuges. Há exceções bem raras, mas isso é muito comum. As demonstrações mais sinceras de normalmente são desviadas aos amigos. Por isso mesmo, as mulheres normalmente tem gostos e convicções bem populares, imitando a maioria, na ânsia de agradar aos grupos sociais a que pertencem.

- Essa submissão social das mulheres faz com que elas tenham nojo de homens com opiniões e costumes que diferem da maioria. Um cara que, por exemplo, pense que todas as religiões deveriam ser extintas, será tratado como um doido varrido e por isso mesmo, desprezado.

- Do contrário que todos pensam, mulheres detestam surpresas. O que elas chamam de "surpresa" é na verdade algo que elas esperam que aconteça, mas que seus cônjuges aparentemente não são capazes de dar. Mas surpresas radicais, nem pensar. Dá impressão, mesmo errada, de algo perigoso. Para facilitar o entendimento, um exemplo: uma mulher que sempre sonhou viajar para Paris, vai querer que o marido um dia a convide para ir a citada cidade. Mas se ele preferir ir a uma colônia de esquimós na Sibéria, e propor isso a ela, certamente não será uma boa ideia.

- Mulheres, por serem consideradas pela sociedade como "objetos", têm prazo de validade. Homens, por serem "sujeitos", não. Por isso que muitos criticam uma mulher de idade elevada em uma situação jovial, enquanto isso é até estimulado aos homens. Se um homem idoso é criticado por alguns por algum comportamento jovial, essa crítica é considerada ofensiva ao tal idoso, pela maior parte da sociedade.

- Quando as mulheres se apaixonam, normalmente isso ocorre após o início dos relacionamentos, após o processo de conquista. O homem conquista a mulher antes do relacionamento e após iniciado, é a vez da mulher conquistar os homens (que normalmente se entediam após a conquista). Conquistar uma mulher costuma ser tão difícil quanto se livrar dela.

- A maioria dos homens não gosta de suas mulheres. Isso mesmo. Fazem questão de ter mulher para satisfazer sexo e agradar a sociedade, pois sabem que homem acompanhado é mais valorizado. Mas é dos amigos que eles gostam mais e deles eles tem uma fidelidade rígida, a mesma que não conseguem ter com suas namoradas e esposas.

- O fato de eu estar escrevendo esta postagem poderá diminuir drasticamente minhas chances de sucesso na vida afetiva. Mulheres só gostam de homens alegres e que posam de bem sucedidos. Além disso, numa sociedade que adora dogmas, mitos e coisas parecidas, uma doce mentira sempre conforta mais que uma verdade amarga.

Esses são alguns fatos surpreendentes sobre a vida afetiva. Quem não concorda ou se sentiu ofendido por causa disso, que mude a sua atitude para que a vida afetiva seja mais justa a todos e que seja caracterizada pelo amor verdadeiro, não por isso aí que chamam de "amor".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.