sexta-feira, 30 de maio de 2014

O altruísmo das formigas de correição é exemplo para seres humanos

Um documentário que assisti há meses atrás na TV paga me deixou pasmo pelo exemplo de altruísmo que certas espécies de animais podem oferecer a nós.

Os animais não são tão irracionais como parecem ser. Claro que sua capacidade de raciocínio não chaga ao nosso nível de complexidade, mas nota-se que há rudimentares raciocínio e senso de moral que em muitos casos, os seres humanos não conseguem ter. É o caso do altruísmo de certas espécies de formigas, como as formigas de correição.

É impressionante o nível de altruísmo dessas formigas, que não deixam um só indivíduo em má situação. Todas sempre se empenham para que todas estejam bem e chegam a se segurar umas nas outras para criar objetos como pontes e balsas para impedir que uma só esteja em apuros. Usam as suas garras afiadas para proteger todo o grupo sem esquecer um só indivíduo.Quando percebem que uma delas está mal, a rotina é alterada a fim de proteger a formiga sofredora. Quando uma formiga morre, as outras demonstram pesar e chegam até a fazer rituais parecidos com funerais em homenagem a formiga falecida. 

Para se ter uma ideia, se os seres humanos tivessem o altruísmo das formigas, não existiriam pobres, doentes, desempregados e solitários e todas as pessoas tomariam atitudes para que até mesmo o menos prestigiado "Zé Ninguém" pudesse viver bem, empregado e com companhia, no mínimo, de uma turma de amigos. 

Nem mesmo religiosos, erroneamente estigmatizados como "pessoas mais bondosas da sociedade", conseguem ter o nível de altruísmo das formiguinhas, já que estimulam o assistencialismo paliativo, um estereótipo que eles e a sociedade entende como "caridade", mas que o tempo provou ser ineficaz e ineficiente para resolver problemas e melhorar  a sociedade como um todo.

Uma vergonha para os seres humanos. Nós, os "perfeitos", os "superiores", com suposta capacidade inigualável de pensar e sentir, perdemos dos animais em muitos aspectos. Sinal de que temos que aprender muito com eles, sobretudo com o altruísmo absolutamente exemplar das "reles" formiguinhas de correição.

Temos que pensar muitas vezes antes de pisarmos em uma formiguinha no jardim de nossos quintais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.