sexta-feira, 25 de abril de 2014

Triste é um país que tem que depender de copa de futebol para se desenvolver

O Brasil é um país de baixíssima auto-estima. Parece que tem "orgulho" da sua condição de inferior. Prefere evoluir na "embalagem" e deixar o conteúdo apodrecer, passando do prazo. É um país fadado ao fracasso eterno e a mudanças que nunca chegam.

Já que ninguém quer mudanças no conteúdo, vamos mudar a embalagem. Vamos colocar a copa de 2014 como pretexto para embelezarmos a fachada, podando o quintal, com novas cores na parede externa, vidros novos na janela e o mais "importante": uma antena de TV bem possante para que a população possa ser devidamente hipnotizada com a ilusão do futebol.

E assim a população se sente em sua pseudo-felicidade, numa cidade mais bonita, com ônibus enormes, estádios pitorescos e... só.

Escolas com professores mal-remunerados que nunca ensinam o essencial, já que tradicionalmente  o nosso sistema educacional é exclusivamente voltado para a formação profissional. Hospitais com seres humanos morrendo nos chãos de corredores. Casas com esgotos ao ar livre. Fios de eletricidade enrolados de maneira confusa nos postes. Engarrafamentos que nunca terminam (e quando tentam resolver isto, apenas mudam os engarrafamentos de lugar). A má distribuição de renda, caracterizada por uma minoria de abastados cujo supérfluo impede a maior parte da população de ter o necessário.

Pergunto se a copa vai resolver esses problemas. Para mim, melhorias são essas que citei no parágrafo anterior. Embelezar o caos não significa melhoria nenhuma.

Os defensores da copa são gente deslumbrada, como crianças diante do Papai Noel. Lembram muito aquelas crianças que acham muito mais importante brincar do que estudar.

Triste viver num país que depende de uma copa para se desenvolver, mesmo em aparência. Triste saber que as nossas autoridades estão muito mais preocupadas em turismo do que em desenvolver a nação.

Não esperem fortunas gigantescas dos turistas. Turistas são pessoas físicas, não jurídicas e gastam como pessoas físicas. Além disso, copa é evento específico. Somente quem gosta de futebol virá para assistir. Quem não gosta, não virá nem sobre ameaça.

E pensam que toda a população gosta de futebol? Até no Brasil essa "unanimidade" é mentirosa.

Estou muito triste. 2014 está sendo um ano ruim. Um ano de muita ilusão, fantasia, onde o Brasil se transformará numa gigantesca Disneylândia, com direito a muitos patetas, que abandonarão por um mês a sagrada realidade, se curvando diante de um bando de analfabetos que não fazem nada além de correr atrás de uma bola, ganhando uma incalculável fortuna para isso. Algo que já foi mais que provado que é extremamente inútil para a sociedade brasileira.

Mas quando a festa acabar, nos lembremos da roupa esfarrapada da Gata Borralheira e da carruagem transformada em abóbora.

Mas não adianta esperar pelo sapatinho de cristal. Com certeza estará bem longe de nosso país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.